Uma homenagem à mulher-mãe!

"E num dia de bendita magia, numa explosão de luz e flor, num parto sadio e sem dor, é capaz, bem capaz, que uma mulher da minha terra consiga parir a paz. Benditas mulheres." Rose Busko

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Na hora que estava pronta - Millena Mendonça

Hoje minha pequena completa 9 meses de vida. Exatamente o tempo em que estivemos unidas em um só corpo. Exatamente o tempo de amadurecimento necessário para que ela lindamente percebesse sua hora de vir ao mundo. E assim veio. Na hora que estava pronta. Há exatos 9 meses.

Na noite do dia 19/03 já estava com minha Clarisse nos braços. Ela chegou no raiar do dia, às 4h25min. E depois dos mesmos 9 meses me sinto no dever de “parir” o relato desse dia tão especial!

As contrações começaram na manhã do dia 18, por volta de umas 4h. Eram irregulares e leves, pródromos! A configuração da casa era a pior possível! Filho, sobrinhos, mãe, irmão e um dia de lazer programado.. só que não!

Planejei estar com a casa vazia, planejei um dia tranquilo, planejei o que não é planejável.. rs

Tentei disfarçar o máximo ao longo da manhã.. fiquei no quarto o tempo todo pra que minha mãe não se preocupasse, mais, achando que “estava passando da hora”.

Falei com a minha doula, Cátia, e ela indicou o que eu já esperava: aguardar. Almocei e deitei novamente porque cada vez mais as dores ficavam intensas e eu estava com sono, mas não conseguia dormir. A tarde Cátia veio me ver e valia a pena aguardar mais um pouco. Às 22h o negócio ficou sério. Chuveiro, bola, liga pra Cátia, trabalho de parto ativo.

Quase 00h eu peço pra irmos para o hospital. Estava preocupada com o caminho, com a recepção lá, estava doendo e agora era dor de verdade!

Chegamos no Hospital Maternidade Maria Amélia e rapidamente fui atendida e examinada: 7 cm!! :D

Entre uma contração e outra, fomos encaminhados até a sala de parto (que lindo!).

Uma sala grande com tudo que eu precisava: um chuveiro, uma banqueta, uma cama, liberdade e paz pra me mover e aguardar a hora da minha pequena chegar. Fui acompanhada por enfermeiras obstétricas que periodicamente vinham ouvir os batimentos cardíacos da Clarisse e avaliar a progressão do TP... sempre com muito respeito, paciência e educação.

As dores progrediram assim como os centímetros e a coisa foi ficando beeeeemm doida.. rs. Dói! Dói pra caramba! Mas é dor de vida! E dor de vida vale a pena!

No meio de uma chuveirada relaxante a bolsa explode (explode, porque parecia uma explosão mesmo.. rs) e as coisas evoluem a partir daí, mais rápido.

Diego o tempo todo lá, parceiríssimo, confiando e acreditando, vivendo a escolha que fizemos juntos na proporção que lhe cabia. Meu amor, meu amigo, minha metade.. te amo Chubi!

Cátia, plena, íntegra, atenta, me dando força, me ajudando, fazendo parte. Massagens, palavras, abraços, dicas, toques, olhares... sem adjetivos pra qualificar essa profissão. Coisa de Deus! Muito importante, pra mim essencial! Obrigada querida! Parabéns por ontem e por todos os dias!

Enfim, cabecinha apontando, a hora chegando.. força! Muuuuuita força! Força física, força psicológica, coragem de ajudar aquele serzinho a conhecer o mundão que o aguarda.

Círculo de fogo!!!!!!! Jesus!!! Que círculo! Que fogo!!

E num impulso, intensivíssimo, a expressão mais absurda de interação entre eu e meu próprio corpo, aquele pedacinho de gente quente, coberto de vernix e sangue chega aos meus braços. 

Meu Deus!!! Meeeeuuuu Deus! Que coisa mais linda! Que emoção! Que loucura! E eu fui permitida pelo Senhor de viver! Glória a Deus! Pela permissão! Por tudo!

Foi isso, de um jeito bem resumido!

Parabéns minha gatinha! 
Você é presente de Deus todo dia pra nossa vida! Te amo demais!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário